Quinta-feira, 31 de Março de 2011
# Reunião dia 31 de Março 2011

Hoje estivemos a finalizar os últimos pormenores relativos à Demo gráfica e Demo técnica.

Estivemos ainda reunidos com os nossos proponentes que mencionaram alguns pontos a serem melhorados.

Durante a tarde permaneceremos a trabalhar com o objectivo de proceder à entrega atempadamente.


 





Quarta-feira, 30 de Março de 2011
#Aula 30 de Março 2011

Durante a aula de 4ª Feira, deu-se continuidade à realização das Demo - Gráfica e Técnica.

 

Durante a execução dada Demo Técnica o grupo deparou-se com alguns problemas no que toca ao uso do Flash AS 3.0 (contudo houve o apoio dos docentes Hélder Caixinha e Nuno Ribeiro).

 

No que toca à Demo Gráfica, verificou-se algumas alterações por forma a enriquecer o seu conteúdo visual tornando-o mais explícito, demonstrativo e atractivo.

 

 

 




Segunda-feira, 28 de Março de 2011
# Aula 23 de Março 2011

Hoje na aula de projecto continuamos com a realização da demo gráfica e técnica. O professor Pedro Amado deu algumas sugestões para completar-mos a nossa demo gráfica. Quanto à demo técnica foram discutidas quais as melhores propostas de apresentação.

Na nossa demo técnica vamos implementar:

-Login

-Ecrã de visualização

-Footprint

Durante estes dias iremos continuar com a realização destas tarefas.



publicado por anaccosta às 18:31
editado por maria-garcia em 02/04/2011 às 22:02
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

#Mockup actual

Seguidamente apresentamos o estado do nosso mockup. 

 

 

O mesmo não se encontra finalizado contudo, pretendemos demonstrar algumas das funcionalidades que pretendemos que a aplicação tenha.




Quinta-feira, 17 de Março de 2011
#Entrega TP2 - Viabilidade Técnica - Parte 5

(continuação) 

 

 

 Dispositivo de interacção

 

No que diz respeito ao dispositivo de interacção com aplicação consideramos que fazia todo o sentido usar um telecomando.

O telecomando apresenta algumas limitações na navegação comparando com o habitual rato e teclado do computador. No entanto, visto que o projecto se insere no âmbito da televisão interactiva consideramos que o telecomando é o dispositivo com o qual o utilizador se sente mais à vontade.

Assim sendo, apesar de o mesmo limitar a interactividade consideramos que esta é a melhor opção para o objectivo pretendido.

 

Na escolha de um comando deve ter-se em atenção uma série de requistos. Este deve permitir ser usado apenas com uma mão e o movimento do dedo entre as teclas deve ser o mínimo possível. É também importante que o número de teclas seja o mais reduzido possível para que a atenção do utilizador seja desviada o mínimo possível do ecrã.

 

Para o nosso projecto iremos usar um comando com receptor de infravermelhos disponibilizado pelo orientador Prof. Jorge Ferraz. Esse comando é uma adaptação do comando da marca AST feita pelo professor para um projecto de televisão interactiva.

As teclas do comando irão ser programadas possibilitando, através de um receptor de infra-vermelhos (ligado por porta série a um PC), a recepção de comandos programáveis respeitantes às teclas pressionadas e à posição do cursor.

comando com receptor de infravermelhos

 

 

 

Conclusão


 

Concluímos com esta segunda entrega que foi crucial a visita feita ao Laboratório do Sapo tendo a partir daí desenvolvido novas ideias que foram ao encontro de novas questões no que toca à viabilidade técnica.

Desta forma, temos de assumir que ainda não está definido o modo de programação no que toca ao uso do comando. Foi-nos falado no Laboratório do Sapo no presentation framework que consiste na tecnologia lá utilizada, mas não ficou nada definido até porque se pretende inicialmente ter uma primeira impressão da forma como se programa o telecomando.

Apesar de algumas áreas ainda em aberto, já se encontra definido que vamos utilizar o Flash, o programa da Adobe, tendo como ênfase a programação Action scritp, contudo ainda não foi definido se vamos trabalhar em AS2.0 ou AS3.0, uma vez que os elementos do grupo aprenderam a trabalhar em AS2.0. 

 

 

 

Bibliografia usada:

 

ABREU,Jorge Ferraz, Design de Serviços e Interfaces num Contexto de Televisão Interactiva.

Portugal: Universidade de Aveiro, Departamento de Comunicação e Arte. Dissertação de Douturamento, 2007.

 

http://sony-vegas-video.en.softonic.com/

http://sony-vegas.softonic.com.br/

http://ziggi.uol.com.br/downloads/dvd-architect

http://download.cnet.com/Interactive-Video/3000-2194_4-10278213.html

 http://www.dvdflick.net/download.php

 http://baixespeedy.blogspot.com/2010/12/download-4media-dvd-creator-v6141027.html

 http://forum.zwame.pt/showthread.php?t=523105&page=1

 http://balsamiq.com/

 http://designervista.com/

http://www.mockuptiger.com/

http://www.mockupscreens.com/

 https://gomockingbird.com/

 http://www.carettasoftware.com/guidesignstudio/ 

http://creately.com/

http://flashtogo.com/suporte/flash.html

 

http://www.digitalismo.com.pt/pt/arts/abuso-do-flash

 

 

http://www.tresd1.com.br/artigos.php?t=15455

http://www.terra.com.br/macmania/atmac/064anime.html

http://www.linhadecodigo.com.br/artigo/2336/Visual-Studio-Team-System-e-Projeto-Ros%C3%A1rio.aspx

http://www.dad.puc-rio.br/dad07/arquivos_downloads/33.pdf

http://www.compuvisor.com/logcomremcon.html

http://profissionais.ws/animacao-web/flash-animacao-web/diferencas-entre-as2-0-para-o-as3-0.html

http://help.adobe.com/pt_BR/AS3LCR/Flash_10.0/migration.html

http://imasters.com.br/artigo/5203/actionscript/conhecendo_o_actionscript_3/




#Entrega TP2 - Viabilidade Técnica - Parte 4

(continuação) 

 

 Linguagem de programação

  

Quanto à linguagem de programação ainda não chegamos a uma decisão estando em dúvida entre o Action Script 2.0 e o Action Script 3.0. O grupo tem algumas dúvidas quanto a esta questão porque por um lado todos os elementos aprenderam AS2.0, no entanto, o Action Script 3.0 é cada vez mais usado.


 

ActionScript 2.0 vs ActionScript 3.0


A principal diferença entre elas é a quantidade de recursos que podem ser explorados em AS3.0, sendo que, enriquece bastante a programação.

A detecção de erros está mais facilitada em AS3.0 do que em AS2.0. No AS3.0 foram eliminados alguns recursos como: “#endinitclip”, “newline”, “targetPath()”, entre outros.

O AS2.0 possui algumas limitações em termos de criação de classes por limitações de linguagem, tendo essas limitações sido reformuladas no AS3.0.

Ainda assim o grupo encontra-se em dúvida na versão que deve utilizar visto que aprendeu AS2.0. Anaisaremos esta questão mais a fundo para que possamos tomar uma decisão o mais rapidamente possível.



Storyboard


Fomos aconselhados pelos orientadores a realizar um novo storyboard da aplicação (uma vez que na sexta-feira já havíamos elaborado um em Balsamiq Mockups) para compreendermos melhor a ideia e ter uma visão geral de como deve ser o projecto. Analisamos uma série de programas de criação de Mockups:

·         Balsamiq Mockups

·         Designer Vista

·         Mockups Tiger

·         MockupsScreens

·         Mockingbird

·         GUI Design Studio

·         Creately


 A criação de mockups premite-nos reproduzir uma ideia próxima da realidade sem ser necessário reproduzir as suas funções. Tal como referido anteriormente, o grupo por sugestão dos orientadores, experimentou o Balsamiq Mockups. Apesar do software não permitir a criação de novas páginas, consideramos o software uma ferramenta muito importante e que nos ajudou bastante na concretização da ideia geral da aplicação final. Esta ferramenta foi-nos muito útil e premitiu-nos ter uma ideia mais concreta sobre o nosso projecto.

 




#Entrega TP2 - Viabilidade Técnica - Parte 3

(continuação)

 

Inicialmente iriamos optar pelo Adobe Premiere, no entanto após uma análise mais profunda consideramos que a criação de um dvd não era a melhor solução. Eram várias as limitações desta opção nomeadamente o delay associadolimitações ao nível da interface e da interactividade. Assim sendo, descartou-se igualmente esta hipótese.

 

 

Posteriormente surgiu a ideia de utilizarmos uma ferramenta de autor multimédia. Automaticamente surgiu-nos o Adobe Flash como a ferramenta mais indicada, no entanto consideramos importante analisar outras soluções como o Macromedia Director. Assim sendo, analisamos as vantagens e desvantagens de cada um:

 

 

Programa

Vantagens

Desvantagens

 

 

 

 

 

 

Flash (Adobe)

 

·         Compatibilidade com a maioria de sistemas operadores e de navegação (Windows, Macintosh /Browsers).

·         Permite criar plataformas mais dinâmicas.

·         Carregamento rápido devido aos seus mecanismos de interpretação de codec.

·         Visualização em todos os sistemas quer sejam operativos ou de navegação.

·         Permite facilmente criar animações.

 

 

 

 

 

 

 

·         Utilização inadequada.

·         Custo do software (muito caro)

 

Vantagens

Desvantagens

 

 

 

 

 

 

Director

 

·         Possui ferramentas de edição que permitem fazer animações do tipo “tradicional”.

·         Tem ferramentas de programação avançadas.

·         Lingo – é uma linguagem de programação (simples) que permite resultados muito bons.

·         Algumas funções simples de animação também são mais complicadas de implementar com este software.

 

 

 

 

 

·         Só aceita o formato ShockWave 3D a partir da versão 8.5.

·         Pouca qualidade das imagens.

·         o plug-in do Director é muito pesado (1,5 MB).


 Após uma reflexão optámos pela solução Adobe Flash visto que permite criar plataformas mais dinâmicas do que o Director e permite uma visualização em todos os sistemas.

 

Achamos que esta é a solução mais indicada para o que pretendemos desenvolver com a nossa aplicação.

 




#Entrega TP2 - Viabilidade Técnica - Parte 2

 Após a listagem dos requisitos funcionais procedemos a viabilidade técnica do projecto.

 

 Software

 

 

Inicialmente o grupo ponderou implementar efectivamente a aplicação com o software necessário para criar aplicações para televisão. Para tal iriamos usar o Visual Studio para implementar a aplicação, tendo como linguagem de programação C# ou visual basic.

O visual studio é uma IDE (Integrated Development Environment) que permite desenvolver aplicações dos mais variados tipos e para diversos fins. Analisamos as vantagens e as desvantagens desta ferramenta:

 

  

 

Programa

Vantagens

Desvantagens

 

 

 

 

 

 

 Visual Studio

 

 

 

·         Permite que os componentes permaneçam iguais independentemente da linguagem de programação.

 

·         Tem ferramentas inovadoras que permite a quem participa no projecto desenvolver rapidamente software utilizando as mais recentes tecnologias Microsoft.

 

·         Permite a utilização de várias linguagens de programação.

 

·         Integração com COM, COM+, DCOM, além da recente tecnologia Silverlight.

 

·         Garantia de qualidade antes e durante todo o processo de desenvolvimento.

 

·         Aumento da produtividade.

 

 

 

 

·         Número menor de soluções públicas e gratuitas.

 

·         Problemas de compatibilidade entre versões do programa.

 

·         Pouco código aberto

 


 

Apesar de o Visual Studio ser uma boa solução, com o decorrer das reuniões o grupo tomou consciência que o tempo era escasso para aprender uma linguagem nova e implementá-la correctamente. Consideramos que esse facto poderia comprometer a qualidade do projecto. 

 

 Desta forma o grupo descartou esta hipótese e procurou outras alternativas. Assim sendo, pensamos em criar um protótipo que premitisse simular uma aplicação de televisão interactiva. Surgiu a ideia de criar um dvd interactivo que permitisse aos utilizadores experimentarem a aplicação com o auxílio do comando. Desta forma, analisamos vários software’s para a criação de um dvd com menus interactivos:

     

·                   Sony Vegas

·                   Sony DVD archiect 4

·                   Interactive video 1.0

·                   Dvd Flick

·                   4media DVD Creator

·                   Adobe Premiere

 

 

 


 




#Entrega TP2 - Requisitos funcionais e viabilidade técnica- parte 1

 

Introdução

 
 Após uma visita ao Laboratório do Sapo e uma reflexão in-grupo, foi acordado proceder a algumas alterações no nosso projecto. Achamos interessante criar uma funcionalidade que permita criar pastas partilhadas de ficheiros com amigos (da rede). Será uma espécie de “Dropbox” no âmbito da televisão. De uma forma sucinta quem quisesse aderir a esta funcionalidade, poderia fazê-lo como sendo administrador da pasta de partilha. Neste caso, teria de proceder ao pagamento de um valor consoante o espaço na box. Estas hipóteses seriam dadas através de pacotes (ex: 4GB; 8GB; 18GB…) onde o administrador escolheria qual o que pretendia, sendo que, o valor numérico seria creditado na factura mensal. Após esta acção já seria possível adicionar, editar e remover ficheiros. O utilizador (administrado) pode desta forma partilhar ficheiros (ex: Séries, Filmes, shortcut’s, etc) com os amigos que escolher e monotorizar as visualizações dos ficheiros. Quem é convidado a aceder à “pasta de partilha”, através de convite feito pelo administrador, apenas pode usufruir (visualizar) conteúdos, e propor novas ideias (recomendar) gerando uma espécie de pegada de controlo do que é visualizado ou não.

Independentemente das variações no projecto o grupo adaptou funcionalidades que já havíamos pensado antes, como por exemplo, o sistema de recomendação. Caso o utilizador (administrador de uma pasta de partilha ou não) queira partilhar um conteúdo com um amigo concreto poderá fazer através do sistema de recomendação. Esta recomendação pode ser feita mesmo que o amigo não esteja on-line. O que aconteceria é que ao aceder à box, o amigo receberia uma mensagem que lhe permitiria ver, gravar ou remover o programa recomendado. Para contornar os problemas gerados no âmbito de direitos de autor, o administrador só poderá “partilhar” conteúdos públicos.


Apesar das mudanças houve funcionalidades consideradas desnecessárias, uma vez já surgiram em vários projectos – funcionalidade de conversação.


Com estas alterações sentimo-nos mais motivados com o projecto e consideramos que torna o mais interessante.

 

 

 

 

Requisitos funcionais

  

Na tabela abaixo encontram-se listados os requsitos funcionais:

 

 

requisitos_funcionais.xls

 

 



publicado por anaccosta às 21:55
editado por maria-garcia em 18/03/2011 às 14:43
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

# Reunião com os orientadores de projecto (17 de Março)

 A reunião de hoje, 17 Março de 2011, iniciou-se com a colocação de algumas questões por parte dos docentes, sobretudo sobre a TDT - Televisão Digital Terrestre e televisão interactiva que foram de extrema importância para a clarificação de algumas ideias/conceitos.

 

Procedeu-se igualmente "ao fecho" de algumas ideias, sobretudo no que toca ao produto final do presente projecto: Protótipo - Demo de alta-fidelidade em Flash

 

 

 




.mais sobre mim
.pesquisar neste blog
 
.Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. #Plano de teste_grelha de...

. #Plano de teste

. # Entrega Tp6 - Versão Be...

. # Ponto da situação da ve...

. #Aula de OT - 01 Junho 20...

. # Aula de 25 de Maio

. #Módulos a desenvolver pa...

. # Entrega módulo TP5 - Pr...

. #Reunião com os orientado...

. #Aula de Projecto - 18-05...

.arquivos

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

.tags

. todas as tags

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO
.subscrever feeds